segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Miscelânea...

Olha, está bem corrido. Levei uma chamada da Adriana e voltei a escrever no blog, aliás já é a segunda e esse lugar somente sobrevive porque ela fica me cutucando e inticando comigo (rs). Então, tenho lido todos os comentários, mas não estou conseguindo responder. Penso que logo, logo volto ao normal, embora ainda exista muita água para jorrar na minha vida até o final do ano.

Não, não consegui resolver o problema no meu trabalho e já estou tentando me convencer de que mais uma vez o que não tem solução solucionado está. Aliás, nem serei eu a prejudicada e sim outra pessoa. Ocorre que essa outra pessoa não quer se envolver e não fará qualquer pedido. Mais uma vez sofri pelos outros e espero que seja a última. Se eu não concordo com um procedimento não quer dizer que tenha que prejudicar alguém que gosto muito para desmanchar o que foi feito por interesses outros e como a segunda pessoa não quer se envolver eu teria que atacar alguém próximo e isso não farei.

Sei que é horrível falar assim sem explicitar o fato, entretanto há coisas que não precisam ser ditas por aqui e até penso que falo demais por aqui, só quero mesmo é dividir meu sentimento de indignação. Inclusive na sexta-feira quase coloquei os pés pelas mãos quando fui alertada pela "moça do cartão" que eu poderia estar sendo usada, que era para tomar um cafezinho e depois decidir. Decidi não ser usada e fiquei quieta, o que demonstrou ter sido uma sábia atitude considerando um encontro que se deu logo a seguir e confirmou o que a menina havia dito. Simplesmente manipulação e eu a quase marionete. Enfim... assunto encerrado e os prejudicados que se mexam.

Entrei aqui foi para falar de uma coisa que me intriga em alguns seres humanos: a capacidade de encantamento com determinadas idéias, tais como, consumo consciente, sustentabilidade, melhor e maior convívio familiar. Assistem uma palestra ou mesmo um vídeo no youtube, saem feito loucas pesquisar as idéias da pessoa, propagam essas idéias, mas nada fazem na própria vida para mudar atitudes danosas.

O que você tem feito para mudar na sua vida aquilo que não lhe agrada? Será que existem atitudes que estão lhe prejudicando e você ainda não se deu conta? O que pode ser feito para viver melhor?

12 comentários:

  1. Acho que tem muitas coisas que a gente pode fazer para mudar a nossa vida, e sempre para melhor! O que falta é ficarmos em silêncio e daí sim dá para pensar com calma em tudo...

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andressa, como é difícil estabelecer novos hábitos. Ainda tenho muito a fazer e às vezes me falta vontade outras vezes me faltam forças... mas vamos devagar e um dia chegamos lá onde queremos.
      Beijos

      Excluir
  2. Contar com a ajuda de Deus. Sempre dá certo quando entregamos nossa vida a Ele.
    Ele nos ouve, nos encoraja, nos guia e nos pega nos braços, se precisar.
    Ninguém é melhor conselheiro que Ele.
    Você não precisa se converter a uma religião, basta falar com Ele. Deus sabe das suas aflições, mas só irá te ajudar se você pedir. Pois Ele respeita o seu livre arbítrio. Deixará a juíza agir, decidir e realizar o seu trabalho. Mas, se está complicado, Ele espera que você fale com Ele.
    Deus está vendo tudo pela janela, torcendo para que você sinta a Sua presença e lhe confie a solução.

    Experimente tê-lo como Amigo Fiel.
    Sua vida pode mudar da água para o vinho.

    Te amo!

    ResponderExcluir
  3. Pois é, deixa as pessoas saudosas, dai ficam "inticando" rs

    Já ouviu ou brincou de telefone sem fio no colégio? Eu tinha isso no pré-escolar e primeira série, e o negócio era tão traumatizante que até hoje uma das vagas lembranças que tenho dessa época, uma é essa. Tinha que sentar em círculo e começava por um e iam falando no ouvido, até que o último tinha que falar lá no meio da roda e por óbvio devia ter algum sacana que mudasse de propósito, pois sempre era uma coisa que riam. Eu odiava e junto com a máxima do “ah ninguém se manifestou então vou começar pela chamada” eram coisas que eu detestava. E tinha vezes que era com uma lata duma ponta, um barbante e uma lata na outra ponta. Hoje deve ser por Bluetooth... rs

    Pois bem, na vida isso segue como se fosse naquela época, às vezes até com gente mais infantil ainda, eu já convivi com pessoas assim e aprendi que não vale a pena, exceto claro, se a recíproca fosse verdadeira. Não existe nada melhor do que o próprio interessado manifestar-se diante de alguma coisa de seu interesse, se não quer se envolver, alguma coisa pode ter... Eu atualmente digo não sem dó para envolvimentos em coisas assim e olha, recomendo. Já ouvi uma pessoa falar absurdos de outra na minha frente e na frente da outra tratar como melhor amiga, enfim, acho que adultos possuem todas as condições necessárias para intervir nos seus próprios interesses.

    Quanto às atitudes danosas, penso que é identificar quais e ir tentando mudar no que parece mais necessário até chegar ao ideal. E sem pressa para não ter frustração. Ah e acho que ter consciência que o ideal não é a perfeição, pois ela não existe, o melhor de nós já é suficiente. O problema, pelo menos meu, é querer fazer várias coisas ao mesmo tempo e depois cansar de todas, e as vezes a gente acha que incorporou e vê que pode melhorar, então é sempre uma constância, sem desanimar mas tentando ver o que dá pra se fazer sem neuras... rs

    O consumo consciente/sustentável, por exemplo, o que é? Eu já tive por conceito que era comprar itens de alguma empresa que ajudasse alguma coisa, geralmente vem na embalagem. Mas e a nossa saúde e da família e dos animais domésticos e demais pessoas e demais animais? E o lixo, e o meio ambiente, e as condições de trabalho que hoje se incorporaram a essa preocupação face aos diversos relatos de condições análogas de trabalho escravo? é muita, muita, muita informação e não podemos nos culpar por não fazer exatamente tudo que manda o figurino, não tem como saber muita coisa, mas tem como saber um descarte mais racional, um aproveitamento melhor, um uso mais consciente. Isso já ajuda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, joguei a toalha, mas não sem antes alardear o que estava acontecendo. Fiquei feliz por ver que não penso sozinha quanto à coisa toda estar errada.

      Excluir
  4. Obrigada, querida Ziula, por estar aí (http://daybydaylovinglife.blogspot.pt/2013/11/ao-longo-das-ultimas-semanas-procurei.html)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, obrigada pela referência!!! Adoro seu blog!!!

      Excluir
  5. Eu achei muito bacanas as perguntas que vc colocou. Não precisa responder mas eu continuo a ler, gosto de ler blogs e alguns eu gosto muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lourdinha, eu estava atrapalhada, mas já "desatrapalhei" e estou quase em dia com os comentários... rs...
      Obrigada pelas visitas!!!

      Excluir
  6. O que fiz para melhorar: sigo atualmente o segundo (ou terceiro) parágrafo da Adriana em especial "Não existe nada melhor do que o próprio interessado manifestar-se diante de alguma coisa de seu interesse, se não quer se envolver, alguma coisa pode ter..." e olha, vou te contar, como dá certo....Antes vivia estressada, hoje não tenho estresse mais nenhum e consigo analisar mais friamente uma questão que apareça e quase nunca tenho nada a ver com o problema. Outra coisa, que pode parecer loucura para alguns, eu só atendo os telefones previamente cadastrados no meu celular e no meu bina, fora isso, nem pensar, pode se esgoelar que não atendo, ou não é nada importante (tipo fofoca) ou é telemarketing, 90% das vezes, parentes e amigos estão cadastrados, devo perder 5% de ligações que teriam algum interesse PARA MIM. Mas a pessoa acaba me achando de outra forma, de preferência silenciosa... Já passei muito perrengue na vida com pessoas loucas me ligando, principalmente de trabalho e o maldito telemarketing 08hs de sábado ou em horário de expediente, eu cheia de coisa para fazer e perdendo tempo com "estaremos fazendo um oferta para a senhora estar concordando" para ligar de perder ligação. Odeio telefone, Deus me livre do ser maldito quem inventou esse demônio. PS: e teve até OJA me ligando para me interceptar no meio da rua com preguiça de ir até o prédio do serviço entregar as intimações, no meu aniversário, durante minhas férias, NÃO!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriela, penso que cumpri o papel que me cabia... agora é deixar a coisa rolar e assistir de camarote... rs
      Telemarketing eu bloqueei no site do Procon e nunca mais recebi ligações!

      Excluir