domingo, 9 de fevereiro de 2014

Alguns objetivos e algumas mudanças

Tinha estabelecido mentalmente alguns objetivos para esse período. 

Consegui responder a todos os comentários feitos no blog e essa tarefa estava sendo adiada desde meados de novembro. Agora está tudo em dia e se você deixou algum comentário ele já estará respondido embora rapidamente.

Terminei o outro apartamento e agora só falta o rapaz instalar espelhos e box nos banheiros, mas está tudo pago, sem parcelamento e sem adiamento.

Arrumei todos meus acessórios que estavam espalhados em algumas caixas e outros jogados nas gavetas próprias que fiz para eles. Caixas em lugares altos que dependiam de escada para pegar e terminava por não usar muita coisa. Agora os brincos estão presos em suportes próprios (tipo um pedaço de papelão com furinho para cada pé do brinco), anéis naqueles suportes de espuma com um buraco para cada anel e o que não podia ser colocado assim está em caixa com divisórias que coube exatamente na gaveta.

No trabalho estabeleci que embargos declaratórios e execuções seriam julgados na mesma semana em que distribuídos. Missão cumprida até agora e que continuará assim mesmo que eu tenha que exceder meu horário em determinados dias como fiz semana passada.

Roupas lavadas e guardadas pela manhã, fico revezando a tarefa, somente lavo quando tenho espaço para estender, ou seja, depois de recolher a roupa do dia anterior. Por falar em roupas, não passo mais nada, nem mesmo as camisetas do Pedro e por incrível que pareça não tenho ouvido reclamações. Simplesmente coloco para secar em cabides e do varal vão direto para o armário, assim a diarista uma vez por semana dá conta da limpeza e não fica perdendo tempo em passar roupas. Roupa de cama também é lavada, dobrada e guardada sem nem enxergar a cor do ferro de passar.

Comida congelada! Lembram que o Pedro somente comia o feijão cozido e temperado no dia? Pois é. Todos os dias pela manhã levantava às 05h30 colocava feijão para cozinha, picava cebola e alho, fritava e colocava na panela, somente um pouquinho para ter fresquinho todos os dias e aqui se come quase nada. Então, agora cozinho uma quantidade maior, congelo as porções e ninguém tem reclamado do sabor do feijão. 

Também cozinho uma quantidade maior de arroz, quando faço carne preparo duas bandejas ao invés de meia, coloco tudo em embalagens suficientes para uma refeição e congelo. Tem dado certo, ficando para o dia somente os legumes e verduras.

Já consegui agendar a renovação de passaporte das crianças e a renovação da CNH minha que vence exatamente hoje. Fiz todos os meus exames de imagem e sangue, estando pendente apenas o retorno na médica.

Enfim, esse começo de ano foi bastante produtivo e espero continue sendo, basta gastar energia com o que realmente precisa ser feito.

Hoje também começa o projeto leitura e vamos voltar aos livros, promessa feita há muito e nunca cumprida.

Finalmente, preciso separar algumas roupas para levar no dia 20 para uma pessoa muito querida que conheci aqui no blog e certamente fará bom uso daquilo que está só ocupando espaço no meu roupeiro, pois, embora ótimas, não as uso mais. Praticando o desapego no último estágio para isso!

10 comentários:

  1. Olá Ziula, também congelo muita comida aqui em casa. Há uns dois anos, ao invés de utilizar vasilhas para por no congelador, uso saquinhos plásticos (parecido com aqueles rolos de colocar fruta no supermercado). A vantagem é que após o uso, ele é diretamente jogado fora, sem a necessidade de perder tempo lavando. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei da idéia do saquinho... vou experimentar!!!

      Excluir
  2. Minha mãe congela o feijão em potes de qualy o que dá uma porção suficiente para nosso almoço e jantar de cada dia. Também estou colocando meus afazeres nos eixos e já comecei meu projeto de 52 livros no ano (teoricamente seria 1 por semana) mas aproveitei a semana que tive de férias e li vários, no momento conto com 12 livros lidos e um pela metade, espero que não fique desanimada pelo caminho. Ahhh, outra coisa é que não compro mais livros de papel embora adore a sensação de tocar e cheirar um livro novo. Não teria dinheiro para comprar 52 livros e nem lugar para guardá-los, além disso, na internet é possível achar vários ebooks gratuitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mais ou menos a quantidade que usamos esse potinho... e quanto aos livros tenho alguns que ganhei e outros emprestados que estão na fila... vamos ver se dá certo!

      Excluir
  3. Este post foi uma motivação pra mim! Uau, quanta coisa! E era exatamente o incentivo que eu precisava, muitas coisas que você fez nesse início de ano eu preciso fazer! Muito obrigada! Beijos e tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patty e isso não foi tudo ainda... rs... mas ficaria muito extenso... até já arrumei um caderninho para agendar as coisas e isso eu nunca tinha feito... achei necessário com medo de esquecer os compromissos e boa sorte quando começar!!! Beijos

      Excluir
  4. Não passar lençol!!!! Que feio!!!! Que preguiça!!!!! kkkk

    Tá, eu também não passo mais e faz alguns anos, entretanto antes de isso ser meio natural, eu sofria! Daí na época chamava a faxineira pra cuidar das roupas num dia, nesse dia, único e hå anos, isso foi 2004/2005 pois depois de 2006 não consegui mais contato com ela, dai ela não passou os lençóis e tá, muita coisa eu relevo, mas ela foi chamada pois teria lençol pra passar, dai nunca mais pra isso, ela até se oferecia e dizia que podia e eu tinha que dizer que ia ver um dia e nunca via. E uns anos depois disso eu passei a fazer a mesma coisa, não passar os lençóis... rs, que se estendeu para as toalhas e pra pijamas e algumas coisas, mas outras ainda tem, bem menos é verdade. Hoje tem muito tecido que evita a fadiga... rs

    Legal ter realizado já várias coisas, também agilizei algumas e início de ano é ótimo para isso!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Descobri que os lençóis após devidamente dobrados e guardados (não tenho muito espaço, então fica compacto rs) terminam por se passar sozinhos.. rs

      Excluir
  5. Isso de fazer feijão todo dia não era nada minimalista! Coitado do Pedro se fosse filho da minha mãe não teria tido nem sombra dessa moleza, não. Minha mãe odeia cozinha e tarefas domésticas em geral (sou próximo disso mais menos radical, pois quero comer saudável). Passamos a vida inteira comendo pratos únicos: lasanha, empadão. feijoada, cozido etc. Não tinha a menor possibilidade de alguém exigir e menos ainda ser atendido para ter comidas especiais, ou separadas, nem quando tinha empregada (porque minha mãe não sabe/ não sabe ensinar ou determinar o que fazer). Para completar o minimalismo "forçado", quando meu pai ia fazer as compras só comprava frutas/legumes/verduras já embalados no mercado, para não ter que escolher e nem pesar! Esse Pedro ERA um sortudo! PS: minha mãe inventou um "pastel de patê" para que eu levasse em uma excursão. Quando eu fui comer estava murcho e sem nada dentro, claro, com a fritura o patê derreteu e escorreu todo e o pastel ficou vazio. Paguei mico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Gabriela, estava longe no minimalismo!!! Foi-se... quem comeu comeu quem não comeu se arrependeu... rs
      Minha avó fazia galinha enfarofada para essas viagens... que saudades!!

      Excluir