quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

160 dias

Quando a pessoa aqui apaixona, não tem jeito! Nenhum jeito! Nenhuma maneira de ser movida à decisão diversa! Pronto! Apaixonei e troquei de carro!

Os colegas de trabalho estão dizendo que os valores não gastos com o "ano sem compras", foram gastos com o carro e, portanto, este projeto não teria muito sentido. Ocorre que a troca somente foi possível com os valores que não foram torrados em desnecessários e supérfluos durante esses 160 dias, somado a alguns outros que já vinham sendo reservados para tanto.

Tinha eu o costume de fazer esta negociação a cada dois anos, desta vez consegui ficar três anos e meio com o mesmo veículo e o próximo objetivo, veja bem que não é um compromisso como o do "ano sem compras", é permanecer durante cinco anos com o mesmo automóvel.

Penso que estou melhorando em tudo, até mesmo nesta diminuição de ritmo para esses negócios e isto vem antes do projeto assumido com este blog.

Eu sei que a maioria dos economistas fala que automóvel não é investimento e pensando apenas monetariamente, realmente não é. Agora, se pensarmos em qualidade de vida, a coisa muda de figura e no meu caso é investimento sim, principalmente em saúde pois minhas dores nas costas diminuíram e muito com câmbio automático.

Já falei em outras postagens dos diversos problemas de saúde que tenho e não vou repetí-los agora, considerando que já assumi ter transtorno obsessivo-compulsivo (rs) e agora podem pensar que sou hipocondríaca (rs), mas o fato é que sempre ando procurando alternativas para viver bem.

Outro fator importante do controle de gastos, planilhas para verificação da situação financeira, organização e outros métodos que utilizo, é a possibilidade de realização de sonhos sem endividamento e sempre mantendo aplicações/ investimentos que possam render frutos mais tarde.

Este item não estava entre permitidos e proibidos, apenas não havia pensado em trocar de carro no momento em que aderi ao desafio e, sinceramente, não posso considerar desnecessário ou supérfluo.

Sei e lembro que fiz um post falando que isto era loucura e que o simples pensamento da troca havia sido um ato de desequilíbrio (rs), mas já ali estava decidido porque sei que funciono assim: estou quietinha, meu filho me leva na agência, cada vez com uma novidade, e havendo o encantamento me é impossível resistir, desde que eu não precise criar dívidas. Ocorre que entre aquele post e o momento da decisão a situação financeira deu uma alterada considerável e não havia razão para deixar para depois.

Detesto pagar juros para bancos seja pelo motivo que for. O importante é manter equilíbrio, analisar o possível, sonhar e realizar.

Continuo no ano sem compras de supérfluos e desnecessários, sendo uma superação diária deixar de comprar aquela camisa, aquela sapatilha, aquele enfeite para casa, superação essa que só está me trazendo alegrias e contar aqui o que foi possível fazer me traz grande satisfação, ou seja, realmente vale a pena o trabalho que estou tendo.

2 comentários:

  1. Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos perídos mais
    marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso? (sinopse do meu blog)
    Acessa o meu blog?
    "Blog de uma adolescente"

    http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

    Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
    Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
    Atenciosamente Tainã Almeida.

    ResponderExcluir
  2. Visitei seu blog e fiquei impressionada... vc só tem 14 anos e escreve maravilhosamente bem... parabéns Tainã... vou acompanhar sim...
    Beijos

    ResponderExcluir