quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Autoflagelo (2)... a continuação

Não gosto de posts longos, embora já tenha escrito alguns, então estou tentando controlar e "dividir" as idéias.

Falei ontem sobre minimalizar e racionalizar o trabalho, sendo que isso não ocorrerá somente se mudar de cidade. Dia 03 de dezembro será instalada a segunda Vara do Trabalho de Cornélio Procópio e passarei a trabalhar nela, espero sinceramente ter aprendido a lição e que o trabalho seja estruturado por mim de forma diversa, sempre sem prejuízo à celeridade.

Quanto à minha coluna vertebral é uma longa história e acho até que já coloquei o histórico aqui. Nasci "tortinha" mesmo e com 15 anos fui submetida a duas cirurgias, logo, tem uma série de detalhes que a tornam incurável, embora administrável. Acreditem! A mente, o pensamento, a força de vontade fazem toda a diferença. Mantenha bons pensamentos. O último médico que consultei disse que não sabe como estou caminhando. Então, todo dia pela manhã quando coloco meus dois pés no chão eu somente tenho a agradecer.

Voltando ao autoflagelo, fiquei pensando também sobre o consumo e a forma como lidamos com ele.

Preservar os recursos materiais é uma forma de amor próprio.

Será que ao gastar todo seu dinheiro de forma desenfreada você está querendo se punir?

Será que você é feliz ao pagar juros bancários?

Será que ao viver em uma casa toda desorganizada, cheia de coisas inúteis e demorando para achar até a roupa pela manhã, você está querendo sofrer?

Pense, porque está agindo assim?

Os pequenos atos do dia a dia demonstram o quanto gostamos de nós mesmos e da nossa família.

Conheço uma pessoa que passa a vida se queixando sobre a falta de dinheiro e comentando os erros alheios. Simplesmente não consegue enxergar sua própria vida, fechou-se para seu mundo interior.

Ora, ora, pouco importa o que os outros falam, comentam, fazem. O que você está fazendo por si mesmo nesse momento? Quais as atitudes que está tomando por uma melhor qualidade de vida? De que modo você pode agir para começar a trilhar o caminho da felicidade? Como pode se organizar em casa, no trabalho e nas finanças?

Pense, reflita, trace uma estratégia e aja nesse exato momento que é o único que você tem, o passado já passou e o futuro ainda não chegou.

Um dia produtivo para todos nós e eu lá vou tentando controlar minha ansiedade porque logo abrirá Londrina novamente e eu entrarei na neurose dos quinze dias até a decisão. 

Estou rindo sozinha agora, considerando que prometi não comentar quando abrisse de novo e meu filho mais velho estava comigo quando recebi a notícia, de uma forma meio "implicante" contou para os irmãos na hora do almoço e a casa já está um alvoroço só, com todos exalando ansiedade e eu tentando manter a serenidade, o que não é fácil.

A Marisa, diretora de secretaria, meu braço direito e esquerdo, meu segundo cérebro, também está que não se aguenta e entrou na sala de audiências ontem apavorada dizendo: "começou tudo de novo?". Pois é, Marisa, começou tudo de novo e sua vida também vai mudar, espero que para melhor, sempre lembrando que preciso de você!

E vamos para mais um dia de trabalho, família, mercado, compromissos pessoais... enfim, mais um dia de vida!

4 comentários:

  1. Muito muito bom! Gostei e me encaixei. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos sempre caminhando rumo à mudança... beijos

      Excluir
  2. É ruim quando nos sobrecarregamos de coisas né?

    Eu estava assim no trabalho e por ter que fazer 3 provas ao mesmo tempo de uma pós-graduação pesava minha cabeça e não conseguia estudar por ter muito trabalho e não fazia o trabalho direito por estar pensando nas provas.

    Nisso cometi uma gafe daquelas que iriam para as pérolas. Ligo para a empresa e falo com o cara que vai de preposto: "mas como é que vocês demitem sem pagar o ap corretamente de acordo com a nova lei?" Ele responde "é pq ela foi demitida em abril/11 e a lei é de outubro se não me engano". Eu não tive resposta, sorte que era uma conversa pelo telefone. Dai para desconversar pedi para levar umas coisas faltantes e espero que ele não tenha se dado conta do absurdo que eu cometi, pois falei com ele cheia da razão e isso que foi o problema rs. Comentei com a colega que também tinha falado que ali não estava correto o valor. Avisei do mico e juramos manter segredo..rs . Bah o q o stress não faz. Se nossa chefe visse aquilo cabeças iriam rolar..rs . E passou pelas duas fácil. Sendo que eu ainda fui tirar satisfações.. rs

    Agora estou tentando não acumular coisas, nem trabalhos nem provas pois não dou conta de tudo junto.

    Quanto aos controles financeiros, acessei meu banco para agendar umas contas que vieram e levei um susto, caíram outros pagamentos e foram satisfeitos porém eu achava que era para sobrar mais..rs, e engraçado ou triste é que não comprei nenhuma coisa desnecessária, não fiz nada de extravagante. Acho, pois terei que reanalisar minhas despesas. Isso que eu sofro tanta piadinha por não gastar com bobagens. E mesmo assim sempre temos que rever as coisas. Acho que por essas que muita gente larga o barco e deixa a vida levar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse processo todo das coisas é que me levou a pensar também em outros aspectos que precisam ser minimalizados e espero ter aprendido isso também.

      Quanto ao extrato bancário... nem me fale! Embora eu esteja no caminho certo e economizando a sensação é de que falta muito ainda.

      Excluir