quarta-feira, 2 de julho de 2014

Entrando no quarto ano...

Ontem entrei no quarto ano de consumo consciente, sendo que o primeiro ciclo - 01.07.2011 a 30.06.2012 - foi dedicado ao ano sem compras.

Tenho ensaiado iniciar um novo ano sem compras, afinal meus projetos finalizaram com pagamento de todos os investimentos, o carro da Izabel foi comprado, roupeiros destralhados, cozinha somente com o essencial, mas ainda faltam algumas coisas no apartamento, principalmente o móvel da sala de tv e a finalização da sala de jantar ou espaço de jantar já que é tudo integrado mesmo!

A pedido da Izabel segue a foto dela com o carro. Viu, Gabriela, como ela posa para as fotos? rs
 




E quero registrar por aqui que durante muito tempo fiquei com medo de não conseguir atingir os objetivos e ter que contar para vocês por aqui como eu fracassei, entretanto fico muito feliz de ter conseguido e foi uma surpresa muito grande ter vencido o período de 366 dias sem compras, isso! escolhi um ano bissexto.

No começo foi muito difícil, tive direito até às crises de abstinência no shopping como já contei, hoje em dia tenho é um certo pesar de não conseguir comprar nem o que é necessário. Certo que por vezes compro alguma besteira e certo também que essa compra é rara e normalmente tomada a decisão por alguma razão considerada importante.

Outra situação que me leva a pensar por vezes é a idéia que as pessoas fazem de mim. Falo sobre destralhe, arrumação, organização, limpeza, bons hábitos e nem sempre minha casa está essa maravilha. Para diminuir a culpa posto fotos da bagunça mesmo a fim de demonstrar que perfeição não existe.

Repito: casa é um ser vivo e por mais que você a limpe/arrume, ela sempre se desarruma até o final da manhã ou até o final do dia ou mesmo durante a noite. Parece aquele filme "Toy Story" sem os brinquedos falantes e bagunceiros, no lugar deles temos louças, cobertas e roupas que se movem pela casa como se vida tivessem.

Também não é fácil firmar algum hábito. Acostumei a lavar a louça e depois fui passando de estágio - parece vídeo game - para também secar e guardar, também para deixar a pia seca o dia inteiro. Pode parecer bobagem, mas são coisas que fazemos em busca de organização e também de melhores hábitos de higiene, garantindo a saúde daqueles que usam a tal cozinha - sem mofo, mais saúde. Quanto tempo demorou isso? Bem, estou em Londrina há um ano e meio e somente aqui passei a cuidar da casa sozinha, então foi exatamente isso: um ano e meio para chegar ao ponto em que estou.

Constantemente é preciso achar novas motivações, novas forças que por vezes não sabemos de onde vem.

É um trabalho diário correr atrás do tal minimalismo e cada qual tem sua medida. Muita coisa foi e muita coisa ainda está presa talvez por sentimentos e o caminho é longo, sendo percorrido com muita paciência comigo mesma e um dia chegou no meu ideal - ainda falta muito.

O blog - tenho procurado atualizar diariamente e no último mês estou mais devagar por diversas razões. A média das pessoas que visita o blog continua a mesma, mas não sei se as pessoas querem ouvir as mesmas coisas todos os dias e é isso que acontece porque é uma luta diária. Por vezes não tenho assunto nem para as mesmas coisas. Entretanto, disso tudo sou muita grata a todos que por aqui passam. Pessoas educadas comigo e com os demais leitores. Pessoas delicadas e que sempre se tratam com respeito mesmo com opiniões diferentes. Pessoas que me ajudam demais nesse caminho todo e que sem elas eu não estaria ainda nesse caminho nem mantendo esse espaço.

Meus filhos participam, acompanham e pedem alguns textos, adoram as fotos de organizações e destralhe, além de terem aprendido comigo nesse caminho todo e eu aprendo todos os dias com eles e suas observações.

Sei que não sou perfeita e já frustrei alguns leitores quando voltei a fumar, mas não é do meu feitio mentir ou dizer que tive sucesso quando a realidade não é essa. Então, honestidade é o que vocês encontrarão por aqui, tanto para notícias boas quanto para notícias nem tão boas assim.

Todos os dias eu procuro melhorar e fazer o meu melhor. Não, não é fácil! E esse espaço e todos vocês são meu maior incentivo.

Digo uma coisa e em outros dias digo outra. Metamorfose. Mudança. Eu me tornando outra pessoa ou diferente em determinado aspecto. Ninguém é igual todos os dias. Podemos tentar seguir uma linha reta e certamente não conseguimos porque a cada dia somos diferentes ou estamos diferentes ou estamos felizes demais ou estamos tristes demais e todos esses estados vão alterando a forma de realizar as coisas ou de pensar as coisas.

Sou muito grata por todos que passam por aqui, comentando ou não! Sou grata pela família que tenho e que me apoia muito! Sou muito grata à Marina que me colocou nesse caminho e me trouxe a idéia do primeiro ano sem compras! Sou muito grata à Adriana que quando viu o blog indo para o esquecimento me chacoalhou e ficou inticando até eu voltar! Sou muito grata à Zilda, Ana Margarida, Andrea, Gabriela, Maria Zinom, Cristina, Maria José e todas as outras leitoras que sempre me levam à reflexão com seus comentários!

Sou muito feliz por vocês estarem na minha vida! Obrigada!.


14 comentários:

  1. Parabéns Ziula. Leio o blog todos os dias e amo! Pode escrever o que quiser que eu gosto muito de todos os post. Mesmo que pareça que é a mesma coisa, não é! Há sempre algo de novo. Beijinhos
    Ana Margarida

    ResponderExcluir
  2. ziula
    leio seu blog todos os dias,e em geral não comento,mas ele me dá a injeção de ânimo diária,para manter a empreitada que é o minimalismo e a organização. Organizar é preciso,porem não há ordem sem caos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. June, dá para ver o caos que faço por vezes... rs... e somente quando arrumo tenho vontade de continuar tentando ser organizada...

      Excluir
  3. Mas já indo para o 4 ano?? Não parece tanto tempo assim... fiquei até preocupada considerando que de certa forma acompanhei desde o primeiro ano, lendo esporadicamente e nunca comentando, bem verdade que ficou interligado com o da Marina do um ano sem compras né, eu da curiosidade do dela acabei caindo aqui e dai acompanhava por curiosidade mesmo, achando que não ia durar nem os desafios, nem eu ficar acompanhando... mas depois a coisa mudou e tu acaba acompanhando por ver alguma mudança que teve, como foi comigo e acho que diversos que devam acompanhar o blog....

    Sobre a casa ser um ser vivo eu tenho lá minhas dúvidas... considerando que realmente seja, porque raios não é um ser vivo educado que ao invés de deixar tudo de pernas para o ar deixe tudo direito e no lugar? com roupa estendida, guardada enquanto dormimos? rs

    Eu estava falando com uma senhora hoje na hora do café e ela me mostrando um site, dizendo que a irmã compra sapatos ali mesmo que não tenha o número dela... fiquei imaginando encolher o pé para caber no sapato ou andar com uma "prancha". Se essa senhora e a irmã soubessem o como é bom fazer o inverso e dai ter dinheiro para comprar um sapato bom que precise ao invés de ter um entulho de sapatos, alguns em outra numeração, só porque "está de 3X por X"... mas cadum, cadum. A busca por isso deve partir da pessoa, e dai ela achar outras pessoas com objetivos parecidos, como acabou sendo o blog né?

    Realizar sonhos é muito bom, não ter parcelas fixas e "infindáveis", melhor ainda. Tão bom como o primeiro carro como o caso da tua filha, muito bonito, é um carro muito bom, ainda que palio eu sofri muito pois seguro é muito alto, mas enfim, coisas que se contorna. Está faltando aquele negocinho de segurar, tenho uma vizinha que sempre reclamei a falta do negócio, que não sei o nome, mas queria segurar em razão das barbeiragens dela... perco a conta de quanto " Meu Deus" digo, ela evidente fica furiosa comigo, mas que tira fininhos, ah tira. Mas claro que não deve ser o caso da tua filha, com 18/19 a gente dirige bem, depois que vamos desaprendendo. Eu com 18 tinha um gol "bolinha", sem direção hidráulica e sempre de manhã ia na academia que ficava mais longe de casa pra ir de carro, o instrutor ficava me elogiando de como eu estacionava bem pois adorava por entre dois carros, hoje procuro um lugar avantajado... sem nada na frente de preferência..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para você ver há quanto tempo estamos aqui trocando idéias!!! Indo para o quarto ano... ando com saudades da Marina...
      Quanto à casa, bem que ela podia se cuidar sozinha... rs... mas somos responsáveis pelo nosso ambiente e pelo meio ambiente também... então temos que inevitavelmente manter as coisas no lugar...
      Compras... menina... se todos soubessem como é possível viver com menos coisas a vida seria mais tranquila no mundo! Ultimamente ando meio focada em algumas coisinhas para decoração... mas nada grave!
      Nem me fale do seguro!!! Ainda bem que ela tinha poupança (aquela dos 10% dos ganhos) e bancou o seguro, caso contrário teria que esperar mais ainda para realizar o sonho dela...
      Aquele negocinho de segurar chama "puta merda"... rs... pelo menos assim chamávamos no Rio Grande Amado... que é a expressão usada quando tínhamos que nos segurar porque o motorista fazia alguma coisa que não devia... rs
      Bem, fiz questão de duas coisas: ar condicionado e direção hidráulica... mas agora acho que tem praticamente em todos os carros, bem como air bag e abs...
      Para estacionar: estacionamento!!! Nunca paro na rua!!!

      Excluir
  4. Gabriela G. Lima3 de julho de 2014 22:49

    Oi, Ziula, entro no blog todos os dias mesmo antes de receber a notificação no email, na verdade fico esperando aparecer coisa nova, estou percebendo que seu horário é lá pelas seis da manhã, horário que geralmente estou acordando do meu breve sono de insone e fico contente de receber novas idéias.
    Melhorei muito meu consumo tanto de roupas/sapatos como abastecimento da dispensa, tudo diminuiu, mas nem chega aos pés do que você chegou e digo: não vou chegar por inúmeros motivos (apego ao passado, colecionismo, apreciar coisas bonitas e falta de colaboração do cônjuge- caso perdido). Mas considero que a melhoria já foi muito proveitosa, não devo nada, tenho reservas e planos de aumento do patrimônio. Mas a casa continua entulhada.
    As pessoas hoje em dia me parecem mais racionais nestes aspectos, economia sem perder qualidade de vida. Durante a minha infância e adolescência convivi com duas pessoas opostas: Meu pai, profissional liberal, gastava tudo o que ganhava no mês, não fazia qualquer economia com ele ou conosco, podíamos ter tudo o que fosse possível pagar, quantos brinquedos e passeios existissem, tínhamos 3 empregadas, ninguém em casa mexia uma palha para fazer nada e ele se gabava (até hoje) em dizer: "Eu tenho a opção de pagar atrasado, eu pago atrasado se eu quiser, eu pago os juros e multas e pronto, ninguém tem que falar nada". Por outro lado seu melhor amigo, um gaúcho, também com condições de gastar, vivia uma vida tão espartana e restrita, economizando praticamente todo o salário, que o presente de natal dos filhos era tipo "o tênis para usar o colégio", o "uniforme do colégio", não tinha um livro infantil para os filhos, minha avó ficou com pena das crianças e comprou um jogo "WAR" para os meninos, a mãe fazia as roupas das crianças em casa, até roupa de baixo, sem real necessidade dessa penúria toda, pois o pai é executivo, ganha bem mais que ministro do STF. Pois hoje nenhum dos dois extremos está bem, um aposentado não pode parar de trabalhar porque não fez reservas e o outro doente, não aproveitou nada do dinheiro (chegou a ter 300 mil dólares escondidos dentro de casa). Como você sempre ressalta, tem que ter uma medida que é própria de cada um. A pessoa tem que achar esse limite. Meu limite é não perder o conforto mesmo que tenha que fazer um gasto estúpido de vez em quando. Acho que além do que já faço não consigo sem ficar mal.
    Estou vendo o carro da Izabel, boa opção acho que FIAT gasta pouco, para quem é estudante é o melhor, a gente sempre fica muito restrito nessa época, que não é criança mas não é autossuficiente, não consigo me lembrar como eu fazia para me manter com minha mesada e meu salário de estagiário. Lembro que em 1994 eu gastava 20 dinheiros (?) para ir no começo para a faculdade, duas passagens intermunicipais e lanche. Hoje seriam uns 60 reais por dia x 22. Eu não teria isso hoje no orçamento para sustentar um filho, acho que servidor nenhum. Mas devem fazer, até pagando faculdade particular, para mim é um mistério. Aí está uma investigação: "quanto custa um filho?".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriela, durmo feito um anjo depois de tudo que faço durante o dia e costumava deixar programada a postagem para as seis horas, mas ultimamente está difícil até escrever... rs... vou dando um jeitinho...
      O conceito de casa entulhada é diferente para cada pessoa... para mim entulho é desarrumação e sempre gostei de bagunça etiquetada... rs... até ficou mais fácil destralhar quando olhava a que se referia dita caixa... rs
      Prezo pelo conforto e até por algumas bobagens que me deixam feliz, mas sempre mantendo o foco em uma reserva para emergência e algum valor para investir... não se pode ser extremista em nada... e conheço muito a história dos dois senhores que você contou... conheci pessoas assim... rs... e não quero nem um extremo nem o outro... rs
      A Izabel está na mesma situação - mesada e estágio - e está conseguindo se manter...
      Quanto aos filhos é uma coisa impressionante como sempre consegui manter o orçamento pagando faculdade particular e todas as demais despesas... quando elas acabam sempre fico pensando como é que cabiam no meu salário??? Mistérios da maternidade!!! rs

      Excluir
  5. Parabéns...Eu sou muito grata pela inspiração. bjs... Maria José

    ResponderExcluir
  6. Ziula, eu q agradeço a inspiração, e por tudo!
    Minimalismo, vc me fez descobrir, é um jeito de viver...eu achava q era só relacionado a gastos, compras, dinheiro, mas não. É para tudo na vida.
    Obrigada pela partilha!!
    Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristina, mande um e-mail... por favor... rs... estou querendo saber o que anda acontecendo...

      Beijos

      Excluir
  7. Agradecida sou eu, que além de aprender muitas coisas, ganhei uma amiga especial.
    Seguindo o seu blog, construí um novo caminho, conseguindo assim, sair da inércia de emoções.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zilda, voce também é uma amiga muito especial. Espero que tenha recebido o e-mail que mandei no seu aniversário!!!
      Beijos

      Excluir